Exercite-se contra o câncer de mama

16/09/2013


A bioestatística Lauren McCullough, da Universidade da Carolina do Norte, nos Estados Unidos, investigou o histórico de 3 059 mulheres de modo a desvendar quantos minutos de malhação seriam necessários para afastar o risco de o mal dar as caras. Resultado: antes da menopausa, o ideal é se mover dez horas por semana — após essa fase, o número cai para nove. A princípio, isso parece muito, mas o período abrange tarefas como varrer a casa, subir escadas, passear com o cachorro e assim por diante. “Ou seja, de prática esportiva mesmo sugerimos uma média de seis horas semanais”, diz a especialista. Com essa frequência, a probabilidade de as mamas serem acometidas pela enfermidade cai nada menos do que 30%.

 

 

O perigo dos quilos extra

 

 

A má notícia do artigo é que a obesidade praticamente anula os efeitos benéficos das passadas, pedaladas e afins. “A gordura sobressalente eleva as taxas de hormônios deflagradores desse câncer”, explica Lauren. “Mas isso é uma questão de ponto de vista. Analisando de outra forma, a atividade física ajuda a emagrecer. Portanto…”, arremata.

 

 

Emagrece Brasil



Veja também