Pesquisa diz que febre aumenta defesa do corpo e frio emagrece

02/07/2014


A temperatura média do corpo, determinada em uma pesquisa feita em 1992, é 36,8 °C. O organismo inicia o dia em temperatura mais fria, que vai subindo ao longo das atividades.

 

A novidade é que os cientistas descobriram que a elevação da temperatura corporal aumenta as defesas imunológicas do corpo. Tomar medicamentos para baixar febre, quando a doença é leve, aumenta os riscos de infecção. Isso acontece pois o vírus replica de forma menos eficiente em temperaturas elevadas.

 

A sensação de frio, por sua vez, pode ajudar a emagrecer. Calafrios fazem o corpo queimar mais calorias para tentar gerar calor, além disso, o frio faz o organismo converter a gordura branca em energia. O Baltimore Longitudinal Study of Aging, publicado na revista Science em 2002, relatou que homens com temperatura corporal abaixo da média viveram mais do que os com a temperatura acima.

 

Para as mulheres, estar com o corpo em uma temperatura mais quente significa que está em seu período fértil. O corpo fica 0,2°C mais cálido logo após a ovulação. Muitas mulheres usam termômetros para medir quando estão no ápice da fertilidade.

 

Já no caso dos homens, eles devem manter os testículos de 1°C e 2°C abaixo da temperatura do corpo para o esperma se formar corretamente. Se o homem tomar banhos quentes regulares, passar muito tempo sentado em um assento aquecido ou ficar com o laptop no colo, o superaquecimento da região prejudica a qualidade do esperma, alertou a diretora de fertilização do Hospital de Santa Maria, em Manchester, Yasmin Sajjad.

 

Durante a menopausa, o corpo da mulher pode ter variação de 9°C, nas ondas de calor, causando sudorese e problemas para dormir. Embora seja um incômodo, o fenômeno pode diminuir o risco de doenças cardiovasculares e acidente vascular cerebral.

 

Fonte: TERRA



Veja também