Estudo aponta que maioria das pessoas que fazem dieta, fracassam

13/08/2014


Uma alimentação que dê prazer e não tenha preocupações excessivas com dietas é a receita de bem-estar da nutricionista e pesquisadora Sophie Deram, que se mostra incisiva: "

 

“Dietas restritivas podem causar transtornos alimentares em mulheres, além do efeito sanfona” é o que diz a nutricionista e pesquisadora Sophie Deram, que completa: uma alimentação que dê prazer e não tenha preocupações excessivas com dietas é a receita de bem-estar para qualquer pessoa.

 

Um estudo avaliou que a dieta muito restritiva oferece um risco maior de desenvolver transtornos alimentares aumentando esse risco em 18 vezes. E nem todo mundo reage da mesma maneira, tem gente que desenvolve bulimia, compulsão ou até anorexia.

 

"O transtorno alimentar é uma adaptação do perfil genético. Já foi mostrado que há um gene com uma variação que, quando você faz a dieta uma vez, já provoca um risco muito alto de ter bulimia. O estresse gerado com a dieta afeta o cérebro e pode desregular o organismo", destacou a nutricionista.

 

Sophie aponta que, quanto mais cedo se começa uma dieta, o risco é ainda "mais forte" porque o corpo está em processo de crescimento. Ela também critica o uso de medicamentos e shakes de emagrecimento porque "desregulam o equilíbrio (do organismo) e causam o 'efeito sanfona'".

 

"A pessoa fica num círculo vicioso. Emagrece, engorda de novo e acha que fracassou. A pessoa fica numa prisão", afirmou. Esse processo de proibição de alguns alimentos em dietas é classificado como 'terrorismo nutricional', resultado de uma série de regras alimentares para cumprir. Em geral, as pessoas não conseguem mantê-las por muito tempo.

 

"Cerca de 95% das pessoas que fazem dieta fracassam. As restrições funcionam no começo, mas não a longo prazo. As pessoas voltam ao peso inicial e até ganham mais quilos", disse a nutricionista, que é contra dietas que "fazem passar fome".

 

A restrição de forma brutal não é saudável e interfere nas sensações controladas pelo cérebro. Assim, as pessoas têm ganho de apetite sem "distinguir entre o que é fome e o que é ansiedade", exemplifica.

 

Sophie ressalta que é importante evitar a frustração de conviver com ingredientes proibidos. "O primeiro passo para o controle do peso de forma consciente é avaliar como está a saúde, entender o porquê você engordou", finaliza.

 

Fonte: TERRA



Veja também