Segundo pesquisa, 45% dos brasileiros dizem estar acima do peso, mas poucos fazem dieta

03/09/2014


A percepção dos hábitos alimentares nacionais foi medida através de uma pesquisa da Conecta, plataforma online do Ibope, que entrevistou 1.100 internautas de todas as regiões e classes sociais entre 6 e 13 de agosto. O resultado mostra ainda que uma parcela de 49,4% não faz exercício ou se movimenta menos de uma vez por semana.

 

Os dados confirmam os levantamentos mais recentes do Ministério da Saúde. De acordo com ele, a obesidade já atinge metade dos brasileiros. O que a pesquisa agora é que o excesso de peso não é mais escondido, mas assumido por quem briga com a balança. Essa nova consciência explica porque 88,7% das pessoas reconhecem que devem mudar seus hábitos alimentares de forma radical ou moderada.

 

A contradição, está na pergunta relacionada à dieta. A pesquisa mostra que as pessoas, especialmente acima dos 35 anos, sabem que precisam emagrecer, mas poucas tomam de fato uma atitude nesse sentido. Os que resolvem reduzir as porções ou iniciar a prática de exercícios são os mais ricos, da classe A. Nesse grupo, 29% fazem dieta e 13,2% se exercitam todos os dias. São os maiores índices.

 

Quando se analisa as respostas por região, os moradores do Centro-Oeste são os que fazem mais autocrítica em relação ao peso. De acordo com a pesquisa, 56,3% se consideram gordos. Na contramão, só 41% da população do Sudeste tem a mesma opinião. Já quem mora no Nordeste demonstra mais preocupação médica. Segundo a pesquisa, 46% procuraram, em algum momento da vida, um médico para tratar obesidade. No Sul, essa taxa é de 28%.

 

A combinação de hábitos alimentares ruins com a falta de atividade física é cruel para a saúde dos brasileiros. Quase 15% não tomam café da manhã, considerada por nutricionistas refeição indispensável, e 33% não fazem nenhum tipo de exercício. O sedentarismo é ainda maior entre as mulheres. A pesquisa mostra que esse índice chega a 40% no público feminino. Os homens, por sua vez, praticam o futebol nos fins de semana.

 

 

Fonte: Estadão / Uol



Veja também