A saúde do estômago está cada vez mais comprometida na atualidade

20/07/2016


Caracterizada por uma inflamação ou lesão aberta na mucosa do estômago ou duodeno, a úlcera se desenvolve a partir da produção de ácido clorídrico para a digestão dos alimentos. Uma simples dor no estômago, se não tratada no início do sintoma, pode evoluir e transformar o quadro em uma úlcera gástrica ou duodenal.

 

O órgão passa a concentrar uma acidez acima do normal e pode lesionar as paredes do estômago ou do duodeno. Uma simples dor no estômago, se não tratada no início do sintoma, pode evoluir e transformar o quadro em uma úlcera gástrica ou duodenal.

 

Na maioria dos casos a úlcera se manifesta através de muita queimação, dores abdominais, enjôos, náuseas e vômitos. Nestas condições, é importante a realização de uma endoscopia digestiva alta, não somente para identificar o que está provocando o quadro, mas, principalmente, para afastar a possibilidade de se tratar de um câncer gástrico, uma vez que os sintomas são parecidos. Estima-se que para os próximos anos surjam aproximadamente 22 mil novos casos de câncer no estômago, segundo dados do INCA (Instituto Nacional de Câncer).

 

"O hábito de comer de forma irregular e com abuso de condimentos, o uso do cigarro, álcool e café em excesso, uma gastrite mal cuidada, são alguns indícios para um quadro de evolução de úlcera. Porém, a doença também pode ser desencadeada através da bactéria Helicobacter, e por meio do constante uso de anti-inflamatórios e aspirina para dor", explica Mounib Tacla, gastroenterologista do Hospital do Coração.

 

É possível detectar a inflamação e tratar a tempo com uma medicação adequada por meio de uma endoscopia digestiva. O exame é realizado com sedação leve e é feita uma biópsia, para retirar uma amostra de tecido para análise e pesquisa da bactéria Helicobacter, sendo todo o procedimento indolor.

 

Quase sempre o tratamento é feito com medicação, mas é importante aliar a isso uma mudança do estilo de vida, com redução do "stress", parar de fumar, reduzir o álcool e o café, além de cuidados com a alimentação. "Geralmente quem adquire úlcera não tem uma rotina alimentar saudável, portanto, é imprescindível para o sucesso do tratamento a inclusão de hábitos saudáveis e o abandono dos antigos costumes", orienta Dr. Tacla.

 

 

Fonte: MINHA VIDA

 

 



Veja também