Risco de câncer de estômago aumenta com dietas suspeitas

29/09/2016


Evidências científicas mostram que o consumo de frutas frescas e vegetais reduz a incidência de câncer de estômago. Tal fato pode estar relacionado com a presença de vitaminas C, E, caroteno e flavonoides nestes alimentos. Na contra mão desse benefício, a ingestão de carnes e vegetais em conserva ou "defumados" está relacionada com a incidência de câncer gástrico. É possível que fatores como nitratos e nitritos nestes alimentos sejam responsáveis por esse aumento.

 

Com o advento dos refrigeradores, caiu o consumo de vegetais e carnes em conserva no ocidente, havendo também uma queda significativa na incidência de câncer gástrico. Ainda como fator que aumenta a incidência, o consumo de sal de cozinha em doses elevadas eleva o risco de gastrite atrófica e colonização de H.Pylori no estômago, estando isso relacionado com o risco de câncer gástrico. As dietas ricas em carboidratos são relacionadas com um aumento de 1,5 a 1,9 vezes no risco de câncer no estômago. Assim, a dieta recomendada para evitar câncer gástrico é de:

 

• Alimentos frescos ou refrigerados, mas nunca em conserva

• Pouquíssimo sal de cozinha na alimentação

• Comer frutas, verduras e legumes diariamente

• Limitar a ingestão de carboidratos especialmente açúcar livre

• Evitar doces com açúcar d farinha branca presente nas massas, biscoito, pães e etc

• Limitar a ingestão de chocolate com leite e açúcar.

 

Sabe-se que a ingestão de açúcar em excesso causa, além da diabetes e doenças cardiovasculares, o câncer de estômago. Por isso, ao evitar o consumo de carboidratos simples e doces indiscriminadamente, você esta evitando não só um tumor gástrico como diversos outros problemas. O mesmo vale para uma alimentação rica em carne em conserva e pobre em verduras e vegetais. Dessa forma, a dieta equilibrada contribui não só para diminuir o risco de câncer gástrico, como também para melhorar a saúde como um todo.

 

Fonte: MINHA VIDA



Veja também